WILLYAN: PARABÉNS A CUNHA



Willian_Johnes_da_OBB__em_closeO colega Willyan Johnes, presidente da OBB - Ordem dos Bacharéis do Brasil - assim como todos os colegas de movimentos e entidades em defesa do fim do exame OAB, também se manifestou sobre a votação da Emenda 21 na Medida Provisória "Mais Médicos", onde o Deputado Eduardo Cunha (PMDB/RJ) colocou um "jabuti" para forçar um novo debate sobre sua proposta de fim do exame OAB.

 

Seu projeto de lei que trata do tema - 2154/11 - segue em tramitação na CCJC da Câmara, mas o Deputado Cunha já colocou muitos "jabutis" em outras MPs. Nesta MP do Mais Médicos ele apresentou destaque de bancada para votar sua emenda.

Foram duas horas de debate acirrado, mas que demonstrou que as lideranças entendem a importância do debate sobre a questão e querem trabalhar no tema, mas não ao final de dois dias de votações em uma MP sobre outro tema.

Leiam abaixo o artigo do colega Willyan Johnes:

 

DEPUTADO EDUARDO CUNHA DÁ SHOW DE CORAGEM CONTRA O CORPORATIVISMO.

 

 

O Deputado Eduardo Cunha tem colocado em todas as medidas provisórias o mesmo texto como emenda no sentido de acabar com o exame de ordem em cada votação, mas o Relator da MP tira a mesma por não ter relação com o texto original, exatamente o que aconteceu esta semana ao ser votado a Emenda 21, colocada por esse Deputado na Medida Provisória 621 que cria o “Programa Mais Médicos”.

 

Como já era de se esperar os deputados coniventes com a OAB nesse caça níqueis iriam protestar e votar contra mais essa emenda argumentando que “jabuti” não poderia ser votado por estar fora da matéria em questão. Para quem não sabe, “jabuti” é uma linguagem usada por parlamentares quando se trata de emenda fora da matéria em votação.

 

O Deputado Arnaldo Faria de Sá (PTB-SP) foi escalado para fazer a obstrução, onde claramente ficou alterado perdendo o equilíbrio e mostrando seu interesse em manter o exame de ordem, que gera milhões de reais a custa do desemprego de centenas de milhares de brasileiros, esses que, com certeza, lhe darão o troco nas próximas eleições juntamente com seus familiares que são atingidos diretamente por esse certame.

 

Com o ocorrido, mais uma vez, o Deputado Eduardo Cunha mostrou que essa luta não tem volta até alcançar seu objetivo, que é acabar com esse caça níqueis de destrói famílias e pune inocentes por força de interesses de uma minoria.

 

Com tudo que vem ocorrendo no Brasil, escândalos de corrupção, o absurdo do mensalão, manifestação da sociedade... Essa minoria deveria saber que nas próximas eleições haverá mudanças, onde, com certeza, esses politiqueiros perderão seus empregos e serão esquecidos por aqueles que os comandam com troca de favores. Afinal, qual o interesse de um representante da sociedade em contribuir com o desemprego de parte dessa sociedade, sendo que seu papel como parlamentar deve ser exatamente oposto.

 

 

Mas, vendo o lado positivo dos descasos das nossas autoridades, com tudo que vem ocorrendo em nosso país, isso ajudará os eleitores a trocar os maus representantes por pessoas dignas, como os que lutam defendendo os interesses da sociedade, não se envolvem em corrupção e tampouco em troca de favores.

 

Mesmo depois de serem taxados de sujos por dirigentes da OAB, que generalizou os congressistas ao afirmar que o Congresso Nacional é um “pântano”, ou seja, ali só há sujeira, por incrível que pareça a maioria dos parlamentares parece ter aceitado isso com naturalidade, visto que nada fizeram e ainda defendem os interesses daquela que os ofendeu e com isso, a sociedade está atenta ao comportamento desses parlamentares que compactuam com o desemprego e dilaceração de famílias por todo o país, inclusive observando a boa conduta daqueles que lutam contra a arrogância dos que insistem em manter mecanismos que punem e exploram inocentes visando seus interesses, como é o caso da OAB com seu exame elaborado com fins de reprova em massa.

 

Assim como o Deputado Federal, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), Jair Bolsonaro (PP-RJ), Zé Geraldo (PT-PA), Vicentinho (PT-SP), Marco Feliciano (PSC-SP) e outros que se mostram claramente a favor da liberdade do livre exercício da profissão e contra a exploração defendida pelos que compactuam com a OAB nesse caça níqueis que gera desemprego, outros vêm aderindo a essa luta, tanto que muitos só não votaram a favor da emenda proposta pelo Deputado Eduardo Cunha pelo fato do exame da OAB não fazer parte da matéria em questão, mas ficou claro que mais cedo ou mais tarde a OAB não mais explorará a classe de bacharéis e essas centenas de milhares de famílias terão melhores condições de vida.

 

Foram tantos os absurdos ditos naquela seção, que o Deputado Federal Bruno Araujo (PSDB-PE), teve a audácia de dizer que as escolas de ensino de direito formam apenas bacharéis e que a OAB, através de seu exame, é quem forma advogados, como se a mesma fosse instituição de ensino e não apenas um conselho de classe. Uma vergonha nacional, pois ele como Deputado Federal deveria saber que Bacharel em direito é o grau obtido e, que de acordo com a lei Nº 9.394/96 nos artigos 43 e 48, ao alcançar esse grau o bacharel está apto para o mercado de trabalho, ou seja, advogar. Com certeza ele não sabe que ao se formarem, os médicos, matéria em questão naquela votação, também se formam “bacharéis” em medicina.

 

Parabéns Deputado Eduardo Cunha, sua coragem e empenho em prol do direito ao trabalho digno a centenas de milhares de brasileiros que são explorados e humilhados pela OAB que os têm como fonte de arrecadação, não só é admirável, como também um espelho para que toda a sociedade reflita nas próximas eleições.

 

Willyan Johnes

Ordem dos Bacharéis do Brasil.

 

 

 

Nós temos



Visitantes desde 24/10/2011:

001381327
Hoje:
No mês:
Total:
1628
17513
1381327